Rede hoteleira do sul da Bahia busca estratégias para a baixa estação

O sul da Bahia, considerado destino turístico de sol, praia e ecológico, vem sofrendo com as variações de demanda ao longo do ano, o que gera impacto principalmente na rede hoteleira das cidades litorâneas da região da Costa do Cacau.

Segundo dados realizados pela Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH), os meses de verão e férias de final de ano apresentam os melhores índices de ocupação dos hotéis, sempre em torno de 70%, com exceção do mês de dezembro. No entanto, a partir do mês de março, as taxas de ocupação já sofrem uma considerável redução, mantendo-se sempre abaixo de 60% de ocupação, o que caracteriza a sazonalidade no setor.

 

Para a pesquisadora Márcia Magalhães da Silva, da Universidade Federal Fluminense, “a hotelaria é um dos segmentos do setor turístico que mais sofre com as variações de demanda turística ao longo do ano, pois sua atividade fim, a hospedagem, depende essencialmente dessa demanda”. E acrescenta: “para que possa reduzir esses impactos, a gestão estratégica no setor torna-se fundamental. Através de ações promocionais, campanhas para atrair os turistas de regiões vizinhas e com a realização de eventos, é possível atrair também o turista em épocas historicamente pouco movimentadas”, destaca.

Estratégias

 

O setor hoteleiro na região já pensa em investir em melhorias para aproveitar os momentos de baixa demanda. Para o secretário executivo do Ministério do Turismo, Valdir Moysés Simão, é necessário focar em ações de médio e longo prazo, a fim de minimizar o impacto da sazonalidade no setor. “Queremos ter uma adequada recepção dos turistas, para que voltem aos locais visitados”, revela.

Na opinião de Flávio Lemos, gerente do hotel Aldeia da Praia, em Ilhéus, uma das soluções para reduzir o impacto da sazonalidade é investir em turismo de negócio. “Os eventos até o momento não estão sendo usados para combater o impacto da sazonalidade. Porém, já estamos pensando em uma programação de divulgação de eventos para mudar a ocupação neste período”, afirma.

Além dos eventos, alguns hotéis da cidade já projetam a utilização inteligente dos recursos disponíveis, buscando economia de custos com energia elétrica e menor consumo de água. “No Aldeia da Praia temos os projetos de redução de lâmpadas comuns e também o tratamento de água dentro do hotel, onde fazemos análises mensais para o controle de qualidade e retiramos amostras da cozinha, apartamentos e da estação de tratamento. Com estes tipos de ações buscamos reduzir o custo com o consumo de energia elétrica e água, proporcionando também benefícios ao meio ambiente”, finaliza Flávio.

Os períodos considerados de baixa estação são: de março a junho e entre agosto até a primeira quinzena de dezembro, com pequenas variações de acordo com as datas comemorativas no período. Já a alta estação é compreendida entre os meses de dezembro e fevereiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *